Nerd quer saber de bunda (ou post cata-paraquedista)

12.05.09

Tava dando uma olhada nos stats do blog e percebi uma coisa: os termos mais procurados no blog são harry potter e “tã-dan-dan-dan”: putaria! Isso mesmo, meus queridos, a procura sobre termos tais quais bunda, chupando, sexo, peitos e etcs é enorme. E claro, vai aumentar com esse post. xD

Mas isso é uma coisa que chamou minha atenção. Durante muito tempo os nerds acessavam seus computadores, trabalhavam, jogavam, guardavam fotos escaneadas da Playboy e talz, e eram EXTREMAMENTE zoados por aqueles que os conheciam, e, logicamente, não eram nerds. Mas os nerds, mesmo os que tinham fotos da Playboy originalmente se preocupavam mais em aprender do que em mulheres e sexo. Isso É verdade, meus queridos nerds dos anos 80, não venham fingir que não.

Porém, vendo que hoje em dia as procuras, não apenas aqui, mas em toda interwebs são extremamente maiores por termos sexuais, só consigo pensar em duas alternativas: os nerds evoluíram, conseguiram balancear as coisas e hoje usam todo seu conhecimento internáutico e informático para conseguir inspiração para o sexo manual ou aqueles que zoavam os nerds antigamente, hoje compram computadores com o principal intuito de ver mulher pelada de graça, sem ter que alugar o vídeo na locadora (só quem já passou por isso sabe o quanto é constrangedor alugar um filme da “Seção Proibida” quando já se conhece o(a) dono(a) da locadora há tempos) ou comprar revistas no jornaleiro da esquina, que te conhece desde garoto. Aliás, ajuda também se vc for um garoto(a) e não puder alugar/comprar putarias!

Pensando nisso, cheguei a uma conclusão apenas: as duas alternativas estão corretas! Os nerds estão ajudando os “valentões” e “comuns” a acessarem a internet, entender como se coloca o vídeo no pornotube e tudo o mais, o que significa que, mais uma vez, a putaria une o mundo em paz. Pq o Bush não percebeu isso?

Agora, pra estimular vocês, uma cena de sexo!

Oh Yeah baby! C'mon!!!

Oh Yeah baby! C'mon!!!

Anúncios

Êta povin bunda!

30.10.08

Olá pessoa, tudo bem? Não? Ah, ok. Não, não precisa me contar seus problemas não, perguntei só por educação mesmo. ^^

Mas enfim, legal te ver aqui no blog. Primeira vez? Legal, senta aí, se acomoda, vc vai gostar. O que? Ah, tu já tinha vindo aqui antes? Que bom então que vc tá de volta, senta aí no teu lugar de sempre, que já vamos começar a putaria, ok?

Então vamos lá.

Você, por um acaso, conhece um lugar chamado Zé da Doca? Não, não é uma pessoa, é um lugar mesmo. Fica láááááááá no Maranhão. Então, na última quarta feira, uns policiais rodoviários fizeram uma merda lá e atiraram num cidadão que, segundo os homi, tinha furado um bloqueio policial e atirado neles. Eles até levaram o cabra pro hospital da cidade, mas ele preferiu ir ver capim crescer por baixo da terra. O povo de lá, claro, disse que ele era trabalhador, que não fazia nada de errado e que ele até era bonitinho. Calma, não fique tão impressionado: sei que isso não costuma acontecer no Brasil, mas vamos dar um desconto, afinal não era nem seu parente.

Qual seria o precedimento correto num caso deste, você sabe dizer? Pois eu te conto: seria aberta uma sindicância contra os policiais, para averiguar o caso e, caso comprovado que realmente foram culpados de atirar no moço (já assumiram que sim) e que realmente foi intencional, eles tomaram nos respectivos briocos e aí “justiça seria feita”. Pode não ser a solução que você quer, mas é a solução legal.

Pois bem, o problema foi o seguinte: o povo lá de Zé da Doca (não consigo aceitar esse nome. Sério) não gostou muito do que os policiais fizeram e resolveram tomar uma decisão diplomática: vamos quebrar a cidade toda! É isso mesmo, leitor(a), os putos resolveram quebrar a merda da cidade toda.

Vamo quebrar tudo!

Vamo quebrar tudo!

Quebraram o hospital, viraram e queimaram carros e essa putaria toda. Detalhe? O hospital que os manés quebraram era o ÚNICO da região. E isso mostra que brasileiro tem mais é que se fuder de verde e amarelo mesmo, sem sombra de dúvidas!!! Eu imagino esses manés conversando:
– Porra, tu soube? Mataram bem um homi lá na BR 316.
– Oxente bixin! Sério mesmo? Tu conhecia o cabra?
– Oxi! Tô falânu, homi? É verdade! Eu num conhecia não, mas tô afim de fazer um balbúrdio!
– Hehehe. Vai ser du bão mermo. Mas o que vamu fazer? Vamo quebrá o hospital? Eu tenho prano di saúde!
– Opa! Simbora!

E foi assim que começou a merda toda. Aí, daqui a uns dias, nem uma semana, alguém vai precisar MUITO do hospital, ele não vai estar em 100% da capacidade, a pessoa acaba morrendo e aí, o que eles fazem? Simples! Quebram o hospital!

Êta povin que merece o que sofre, sabia?